Austrália não vai retaliar contra a China após imposição de tarifas

O ministro da Agricultura australiano afirmou que o país não mantém uma guerra comercial com a China e afirmou que não vai retaliar contra Pequim após a imposição de tarifas de 80% à cevada australiana.

Cevada

«Não há guerra comercial. Ainda hoje há um aumento na procura de ferro da China», disse David Littleproud, acrescentando que os dois países continuam a comercializar várias matérias-primas agrícolas e minerais, além de outros serviços.

Na segunda-feira, a China impôs tarifas à importação de cevada australiana, alegando que é subsidiada e vendida ao gigante asiático a um custo abaixo da sua produção, considerando tratar-se de concorrência desleal. A medida contra a cevada australiana, cujas exportações para a China ultrapassaram 897 milhões de euros em 2018, ocorre quase uma semana depois de Pequim ter suspendido as importações de carne bovina de quatro grandes fornecedores australianos.

O aumento da fricção entre os dois país começou com a Austrália a apelar a uma investigação sobre a forma como Pequim lidou com o surto do novo coronavírus. Camberra juntou-se aos Estados Unidos no apelo por uma investigação sobre como a pandemia, que começou na cidade chinesa de Wuhan no final de 2019, alastrou por todo o mundo.

A China é o principal parceiro comercial da Austrália, com uma troca bilateral de mais de 141 mil milhões de euros no exercício financeiro de 2018-19, representando um aumento de 20,5% em comparação com o período homólogo anterior.

FONTE: Lusa

Regiões

Notícias por região de Portugal

Tooltip